Fonte: Jornal O Imparcial 
Data: 29/6/2014

Presidente do PTB no Maranhão, Pedro Fernandes, diz que não seguirá decisão da nacional e pedirá voto para Dilma no estado. Ele aproveita e faz um balanço de sua gestão na Educação

DIEGO EMIR

pedrofernandes_ImparcialConsiderado um dos políticos mais competentes do Maranhão, o deputado federal Pedro Fernandes (PTB), foi convocado pela governadora Roseana Sarney (PMDB) para conduzir a educação do Maranhão e promoveu diversos avanços, porém agora ele se preparara para uma nova eleição. Ele está no quarto mandato e é apontado como um dos prováveis eleitos para a disputa do cargo de deputado federal, porém o ex-secretário diz que não há eleição fácil e muito menos ganha, antes da apuração. Como presidente do PTB no Maranhão, ele diz respeitar a decisão do diretório nacional, mas caminhará com a presidente Dilma Rousseff.

Em relação ao trabalho desempenhado na secretaria estadual de Educação é possível destacar as melhorias promovidas no aprendizado, a universalização do ensino médio, o combate ao analfabetismo e a implantação do regime de colaboração entre os entes federal, estadual e municipal. Vale destacar, que todos esses elementos foram pontos cruciais da sua gestão a frente da Seduc.

Pedro Fernandes ainda fala sobre a implantação do ensino em tempo integral, que deve ocorrer ainda esse ano no antigo colégio Marista (Centro), o qual terá capacidade para atender três mil alunos. Além disto foi criado o Centro de Ensino de Idiomas, que inicialmente oferece inglês a alunos da rede estadual e em breve estará oferecendo espanhol e francês.

Muitos outros avanços são apontados e também uma analise do atual momento da política maranhense é feito.

Confira na integra a entrevista exclusiva:

O Imparcial – Pedro Fernandes faça um balanço de sua gestão na secretaria estadual de Educação. Quais foram os principais avanços?

Pedro Fernandes – Eu não cheguei à secretaria no inicio de um governo, mas sim, já iniciado, então já tinha um plano de ação estabelecido. Eu sucedi o João Bringel, que é um excelente gestor, dessa forma meu trabalho foi facilitado, ainda mais que a governadora trouxe o PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) para o Maranhão, que foi o responsável por um grande diagnóstico. Quando tornamos a educação do Maranhão com uma política de estado, nós ampliamos o planejamento estratégico para este setor. A missão da secretaria é fazer educação de qualidade em todo o estado. A nossa visão era tornar a Seduc referência no país. A partir daí estabelecemos metas, elas foram: melhorar o aprendizado no Maranhão, universalizar o ensino médio, combater o analfabetismo e a implantação do regime de colaboração entre estado, município e governo federal. Acredito que nem a união, nem o município e nem o estado tem como desenvolver a educação sozinha, por isso busquei parcerias. Eu tenho certeza que os resultados estipulados, já começam a aparecer, apesar de que sabemos que isso só ocorre de médio a longo prazo.

Em relação ao combate ao analfabetismo. O que foi feito para diminuir esse índice?

Dois grandes programas foram lançados. Um foi o “Educação na Idade Certa” que foi feito em convênio com a Universidade Federal do Maranhão, assim como Instituto Alfa e Beto e o Ayrton Senna. Outro programa foi o “Educação de Jovens e Adultos”, o Maranhão possui uma taxa de 19,8% de analfabetos, então firmamos um convênio com a União e chamamos o MEB (Movimento de Educação de Base), para nos ajudar nesse trabalho, o que fez com estabelecêssemos como meta a mobilização de 102 mil analfabetos, mas em um primeiro momento, este número foi reduzido para 94 mil.

Atualmente existe uma estipulação de data para erradicar o analfabetismo no Maranhão?

Nós esperamos que até 2023, reduzamos essa taxa de analfabetismo seja reduzida para menos de 10%.

Sobre a metodologia do ensino integral. O senhor deixou tudo preparado para o trabalho ser iniciado no antigo colégio Marista.

Verdade. Deixamos tudo encaminhado e em breve a governadora Roseana Sarney, deve estar inaugurando a escola. Reformamos toda a escola, assim como o currículo que será oferecido para os estudantes. Existe uma expectativa de funcionamento ainda este ano. A escola terá capacidade para 3 mil alunos, mas em um primeiro momento vão ser abertas sete turmas, que representam mais de 300 alunos, ou seja, 10% da capacidade total.

Quanto ao número de vagas na rede estadual de ensino. Houve uma ampliação na sua gestão?

Na verdade quando cheguei, o planejamento de 2013 já estava todo preparado. Mas para o ano de 2014, nós ampliamos para 6,5%, o que representa novas 30 mil vagas.

Nas políticas de valorização do servidor, o que senhor pode destacar?

Primeiro lugar, o estatuto do magistério, segundo o estudo para realização do concurso público para todos os níveis e o mais importante, nós adequamos a supervisão de formação para que ela seja feita de todos os funcionários da secretaria, não só os professores, pois todos são importantes para a Seduc. Por isso valorizamos a escola e os professores, mas nosso foco principal sempre foi o aluno.

O senhor foi o responsável pela criação do centro de formação de idiomas. Como funciona esse projeto?

Essa era uma ideia que eu tinha, antes de chegar na secretaria. Esse projeto só foi viabilizado graças a um convênio feito com a UFMA. É importantíssimo para rede pública estadual essa formação em outra língua que é o inglês. E nós deixamos esse centro preparado para oferecer outras duas línguas, o espanhol e o francês.

Como o senhor tratou a parte financeira da Seduc?

A minha preocupação inicial era dar treinamento para capacitação dos funcionários para que metas fossem estabelecidas. Como nós lutamos para cumprir prazos, fizemos nossas prestações de contas de forma antecipada, uma vez que sabemos da responsabilidade que tínhamos na mão, uma vez que 50% do valor dos recursos estaduais estão na Educação.

Como será a participação do PTB nesta eleição?

Fizemos nossa convenção e decidimos manter o apoio a Dilma no Maranhão. Pois a presidente merece a nossa aprovação, uma vez que o estado foi visto como destaque pelo governo federal. Foi decidido também que marcharemos com o senador Lobão Filho para disputa de governo e para o Senado, estaremos com Gastão Vieira. O PTB nacional aprovou apoio ao presidenciável a Aécio Neves.

O PTB planeja aumentar a representatividade do partido nas casas legislativas?

Veja bem, nós temos dificuldades de formar grandes partidos, pois as legendas estão se diversificando. Hoje existe mais de 30. Naturalmente os ditos grandes partidos, se sentiram diminuídos com essa nova oferta. Teremos seis candidatos a deputado federal e oito a deputado estadual, seria ótimo, poder eleger todos, mas sabemos que não é fácil, então mantermos nossa representatividade na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal, já será um grande feito.

O senhor acredita na vitória do seu grupo na eleição deste ano?

Olha eu acho que o candidato Edison Lobão Filho, reúne todas as qualidades e condições para ganhar a eleição. Primeiro, acredito se ganha eleição com grupo e nós temos um forte grupo. Segundo, o candidato tem que ter vontade de ganhar e Lobão Filho tem de sobra. Por último, acredito que eleição se ganha durante a campanha. Tentaram antecipar a eleição, mas se formos observar as pesquisas, muitos eleitores ainda não definiram seu voto, só vão fazer agora, observando as propostas dos candidatos. O senador Lobão Filho, obteve posição de destaque no Senado, não é todo mundo que chega na presidência da Comissão de Orçamento do Congresso Nacional, e ele obteve um grande desempenho, sendo destacado nacionalmente. Se você observar, o Maranhão avançou muito quando comparado a 50 anos atrás, é obvio que ainda existem deficiências, mas muitos avanços já foram promovidos.

O senhor é apontado como um dos favoritos para a reeleição de deputado federal. O senhor entende dessa forma e se eleito quais serão suas bandeiras deste novo mandato?

Gostaria de deixar claro que não existe eleição fácil. É evidente que já estou no quarto mandato, já tenho um trabalho pela população do nosso estado conhecido, tenho uma postura reconhecida por nosso povo, espero que isso continue motivando os eleitores a me reelegerem. Eu espero, eleito, continuar o mesmo Pedro, lutando e defendendo por questões relacionadas ao Maranhão.